segunda-feira, 18 de abril de 2011

ALÉM DA RAZÃO

Não vou dormir
o dia vai chegar
e vou me redimir
a quem me admira...

Vou sorrir
quando o dia chegar,
ver teu sorriso no ar,
belo como uma melodia
iremos juntos pelo caminho da vida
pode entrar.

Vou te abrigar
nos meus carinhos,
entre no meu caminho
pode sentar,
o dia chegou
pode me amar.


Vamos caminhar
na mesma estrada...
o dia se foi,
a noite chegou...
Peço uma coca cola gelada
com gelo e limão,
acendo um cigarrinho
penso em você....
sei que nunca vai me esquecer
vai além da razão...

sábado, 16 de abril de 2011


OITENTÃO


Quero que você sinta nestes  versos
gosto de amor,
cheiro de saudade,
uma noite de luar,
estradas compridas,
cavalos soltos a cavalgar.

Há quem se lembre...
de 23 de outubro de 1923?
Nasceu no Corrente Egberto!
em Baixa Grande tempo de menino,
correndo, correndo...
pulando e irradiando alegria
nas areias brancas e nos currais...

Saudosas lembranças...
no Acaraú tempos de rapaz...
as primeiras namoradas,
encontro com amigos:
Manoelito, Carmo, Cadorne, Edmílson e Orzete
e tantos outros...
bate papos, serestas e bailes.

Percorre a memória...
os romances da Eunice, Nenem, Raimundinha,
Mundeca, Lúcia e Terezinha,
até quis morrer de amor pela Ritinha...

Mas de repente !
Numa dessas voltas que a vida dá !
Encontrou na Serra Azul
uma bela moça
olhos azuis,
gosto do jeito dela,
a família mais ainda...
o sonho a fantasia
bateu a porta
e o amor chegou...
adivinhe?
Tiveram filhos...

Agora escute o que vou contar:
na Carnaúbinha toda tardinha
um passeio a cavalo
que não me sai da memória...

Você se lembra da chegada em Antônio Bezerra?
Os anjinhos das coroações
da novena de maio,
os teatrinhos no Patronato,
as quermesses na matriz...

Os meninos cresceram,
hoje todos adultos te amam
como um menino vadio.

Não naufraguei no esquecimento,
não podia esquecer de dizer:
do teu jeito
de homem carente,
trabalhador com jeito de menino,
do grande amor que tens pelos caboclos do sertão.

Não vejo apenas um passado ingênuo
da tua história,
vejo exposto na parede
o retrato antigo da família
onde tantas vezes fitei,
contemplei,
os teus os traços
percebi o que o tempo desfez.

Guarde nesta mensagem
á admiração que sinto por você
meu pais...
oitentão vaidoso
e fogoso...

sexta-feira, 15 de abril de 2011

"A DIRETORIA"

Na controladoria
num dia
em momento de descontração
na recepção
por votação
criou-se uma sal de reunião,
lá se encontra a diretoria,
ligar de pura democracia,
mas não se aceita baixaria,
existe uma deliberação:
proibido palvrão
e só diálogo ao invés de discussão,
e um grupo sério
até presidente tem
o Tibério,
e estipulou-se também,
não ás maledicência
decidiram as excelências,
e para participar não tem mistério não,
a permissão
é ter bom coração.


ROBERTO J.

domingo, 10 de abril de 2011

SONHO REAL

Como se sonha
o que esta acontecendo,
no mesmo momento?


uma viagem dupla...

Dormi profundamente
do ladinho
de uma pessoa linda...
simples...amante...

Sonhei um sonho real...
me cobri em laços de carinho,
na minha pele perfumada.





















asi

quarta-feira, 6 de abril de 2011

SEI SER SINCERA

Eu sei ser sincera
a tal ponto de ter
teus carinhos nos meus
que me solta no ar
me faz reviravolta
e me deixa tão leve.

Pensei tantas vezes
não mais te querer,
não consigo te esquecer
o meu mundo é só teu.

Viajando nas nuvens
por cima do mar
sem querer te perder
sonhei outra vez.

Vi o mar bem verdinho
de ondas branquinhas
quebrando na areá
lembrei de você.

O sol apontando no céu,
roubei os teus beijos ,
senti teu carinho
na beira do mar.

O dia tão lindo
passou de repente
e você por aqui
vendo o tempo passar.

A noite chegou
veio a lua tão clara
alegrar nosso ninho de amor
e nos fez companhia.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

A CADA INSTANTE

Vi um caminho
no meio do desfiladeiro
solucei de emoções
a cada instante.

Soltei um suspiro
de emoções calada
a cada instante.

Brinquei
com as minhas ilusões
e sorri a cada instante.

Senti minha existência
tão curtida
a cada instante.

Chorei envolvida
numa revolta
que não teve fim...
De repente voltei a sorrir
a cada instante.
SENSAÇÃO

Tenho a sensação
 de perdoar por amor,
o gozo escorre na mente
e me foge na pele.

Tenho a sensação
de donzela faceira !
a terra gira,
o vento solta
o cheiro da mata.

Tenho a sensação
do desabrochar da primavera,
belas flôres coloridas
desfolhadas pelo vento,
verdadeiro tapete de pétalas perfumadas.

Tenho a sensação
de menina vádia
que pula e rola
na areia da beira do mar.

Tenho a sensação
de ser um poeta!
em noite de luar
que canta e chora
a saudade de amar.
REVIVER

Estou tentando dizer qualquer coisa simples,
simples que me convide a refletir.
refletir o amor que escondo,
sincero como a primavera
colorido com cheiro de mato,
mato verde cheio de esperança,
esperança pra reviver nosso amor,
amor que explode
e vibra nossos sentimentos,
sentimentos que vôa,
vôa até chegar ao mais perfeito enigma,
enigma do dia com cheiro da noite,
noite de ventos fortes,
fortes como nossos melhores momentos
momentos feito de raio que me incendeia,
quero teus olhos brilhantes,
me beija
e diz que me ama.
ANTONIO BEZERRA

A saudade em essência,
tinha ido ver um lugar
levado por um desejo
de buscar o meu passado.

Meus passos caminharam pelas ruas...
com a sensação de encontrar uma infância
que a marca do tempo levou...
caminhei com as ilusões do passado.

lembranças vivas...
um canto de maio,
um sino tocando,
os anjinhos cantando uma ladainha.

Cheia de luz !
vaguei pelas ruas...
me encontrei com a sombra do passado,
atravessei pistas largas !
só escutei vozes da minha imaginação.

Sorrisos largos,
parei em frente ao Patronato,
estava intacto não mudou nada,
é o que resta da minha infância.
Dentro de mim minhas lembranças.

Acordei,
escutei o vento
que levou meus traços,
minhas lembranças,
algumas pessoas da minha infância,
minha avó,
amigos queridos
e o passado distante.
ESQUISITO

Porque faltou sentimentos?
que esquisito !
recompor meus disfaces
que chora, que rir, que explode
e que grita !

Como lembrar e esquecer,
deglutir meus desabafos !

Como seria minha alma?
em mim escapa pelos dedos
toda minha calma.

Eis-me perdida no universo
sem encontrar palavras,
que tímidez!

Sou de ti cativa.
já não posso te ofertar meus beijos.
estou como os misses cobrindo
todo meu coração acinzendado.